quinta-feira, 20 de julho de 2017

Sessão Pipoca

Amor e Revolução


Quem me conhece sabe que eu adoro a atriz Emma Watson e que eu faço o possível para assistir todos os filmes em que ela trabalha. Não foi diferente quando vi o trailer do filme Colônia que, além de ter minha atriz preferida, fala sobre a ditadura de Augusto Pinochet no Chile. Lógico que fiquei aguardando ansiosamente a estréia do filme nos cinemas. E...
...
Ele não estreiou!
Pois é. O filme me deu o maior trote! Eu estava desde o final de 2015 esperando esse filme até que a dois meses atrás me cansei disso e fui pesquisar e descobri que aqui no Brasil ele só saiu em dvd. O motivo? Se você pesquisar por "filme Colônia, com Emma Watson" na internet vai descobrir que ele é considerado o maior fracasso de bilheteria da atriz. O fato é que poucas pessoas viram o filme provavelmente por não se sentirem atraidos pelo tema. Mas o fato do filme não ter tido uma bilheteria boa não significa que ele seja ruim. 
Antes de começar a falar do filme em si queria começar reclamando da tradução do título no Brasil. Sério gente! Amor e Revolução? O que vocês tinham na cabeça? Será que a pessoa que fez essa cagada com título assistiu o filme? Eu acho que não. Esse título vende uma coisa que o filme não é. Se formos intepretar o filme pelo título brasileiro, ele tem amor demais e revolução de menos. Colonia Dignidad ou simplesmente Colônia é um título muito mais apropriado, pois mostra o que o filme realmente é: um relato sobre a seita fundada pelo alemão Paul Schäfer e que, após o golpe militar, se converteu em centro de tortura. Se alguém da Uiversal Pictures algum dia ler este post, por favor mudem o título.
O filme conta a história do casal alemão Lena e Daniel que são apoiadores do então presidente chileno Salvador Allende. Após o golpe militar, a Polícia Secreta de Augusto Pinochet passa perseguir e prender os apoiadores do antigo governo. É então que Daniel é preso e levado para a Colinia Dignidad. Lena decide se filiar a essa seita para tentar salvar o amado. O único problema é que é praticamente impossível escapar desse lugar.
O filme é extremamente tenso. Ele deixa claro a loucura do fundador da colônia, Paul Schäfer. Além de machista ele abusava sexualmente de crianças. É impossível assistir esse filme sem ficar indignado! Ainda mais quando você descobre que ele só foi preso em 2005. No filme fica claro a tensão em que os membros da colônia, principalmente mulheres e crianças, viviam. Imagine o horror que deve ser você viver com medo de ser espancada ou de ser violentada. Você deve estar se perguntando como o filme faz para mostrar que Paul Schäfer abusava de crianças. Não se preocupem! A cena não é explicita, apesar de causar um grande impacto mesmo assim.
No início parece que o filme vai ter romance demais e História de menos, mas, quando as coisas começam acontecer, você fica vidrado do início ao fim. Assistam!


Porque assisti esse filme: porque é um filme histórico.
Diretor:  Florian Gallenberger
Gênero: Drama, Histórico, Suspense
Duração: 110 min.
Distribuidor: Universal Pictures
Classificação indicativa: 16 anos.
Correspondeu as minhas expectativas? Sim.
Uma cena: Lena e Daniel embarcando no avião.
Personagem preferido: Lena.
Recomendo o filme? Sim.
Dicas para quem for assitir:
- Se você não é familiarizado com a História da Ditadura Militar no Chile, seguem alguns links úteis para pesquisa:

Nenhum comentário:

Postar um comentário